Páginas

5 de out de 2011

Lá vou eu de novo, bradar contra o injornalismo desesportivo da Globo & afiliadas

Tenho o hábito de ver os jornais locais da hora do almoço, inclusive o esportivo. Dificilmente consigo suportar o Globo Esporte nacional, mas hoje foi um daqueles dias em que tive de colocar no mudo até acabar a reportagem, sob pena de dar uma chinelada na tevê.

Na verdade foram dois dias seguidos de irritação com o jornalismo esportivo local produzido na TV Liberal. Além de estar seguindo pelo mesmo caminho da Globo, o que é claro faz sentido, tá ficando um arremedo mal-feito. Ontem a reportagem com o garotinho que entrou no campo com o Ronaldinho me deu enjoo. O menino disse, a um dado momento, que estava com vontade de chorar. O repórter parou de falar. Ficou esperando o menino chorar. A criança não chorou de imediato. Corta. Cena de close, menino chorando, música de fundo. Foi ridículo, foi de dar pena, e nojo. Exploração infantil, a bem da verdade.

Hoje foi mais inofensivo, mas se você tinha alguma intenção de saber como foi o jogo do Independente de Tucuruí, como jogaram ou qualquer tipo de comentário tático, sinto muito. Tudo o que você saberá é que a dancinha com que comemoraram o gol foi alegadamente inventada pelos filhos de dois jogadores e ainda terá a oportunidade (o azar) de ver os ditos jogadores ensinarem a "dança" a uma turma de aeróbica. Esporte? Esporte, em jornalismo esportivo, é para os fracos.

Pelo menos os apresentadores do GE local ainda não aderiram à moda ridícula do GE nacional de ficarem zanzando empetecados pelo estúdio como se fossem VJs da MTV. Conteúdo esportivo, por favor. Não me canso de pedir: parem de sorrir e fazer piadas. INFORMEM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

tá com você!