Páginas

1 de fev de 2014

Vocês viram a novela ontem?

Tão comum essa pergunta... "Viu a novela ontem?"

Pois eu espero que vocês tenham visto. Ontem dois homens se beijaram na boca pela primeira vez numa novela brasileira.

Isso é imenso. A novela, especialmente a das 8, que virou a das 9, é o carro-chefe da ficção popular neste país. Se você tem algum apreço pelo objetivo de inserir definitivamente a homoafetividade no contexto do "normal" nesta sociedade, você com certeza torceu pelo beijo de Félix e Niko, como eu torci, mesmo sem ter assistido Amor À Vida.

[Entre dois homens. Entre duas mulheres já tinha acontecido no SBT, mas de verdade vcs sabem que existe uma diferença gigante de preconceito, né? Sem falar de impacto, líder de audiência, novela das oito. Então tá. Sigamos.]

Folgo em dizer que a maioria avassaladora dos comentários nas redes sociais foram de "viva!!" até "que lindo!!" passando por "finalmente!!" e alguns "shoray!". Porque foi mesmo muito, muito bonito, emocionante, coroando o trabalho maravilhoso de Mateus Solano que, pelo que sei, foi quem salvou a novela. Tenho uma quantidade descomunal de restrições ao trabalho do Walcyr Carrasco nessa novela, porque no que tange a trabalhar pelas minorias, ele prestou um desserviço nível Zorra Total com as mulheres obesas, com aquele personagem da Fabiana Karla, e eu faço parte dessa minoria muito discriminada. Mas reconheço que, não só pelo beijo no final, mas por toda a criação e trajetória do personagem Félix, ele merece o reconhecimento e o aplauso.

Como sou uma pessoa sortuda e bem-relacionada, não vi um único comentário homofóbico nas redes sociais!  Mas gostaria de comentar algumas reações de pessoas não homofóbicas que me deixaram incomodada por uma série de razões.

1) Teve gente que disse "Ah, mas essa novela foi horrível!"

E foi mesmo! Mas novela ruim tem toda hora, beijo gay na tv aberta em horário nobre, foi a primeira vez! Vc queria que tivesse sido numa produção de alta qualidade cultural? Vá ver o Canal Brasil e não vai faltar cena gay. É aqui que tá a transformação, meus queridos, é entretenimento popular, não é cult. É um casal homoafetivo sendo levado romanticamente a sério na rede aberta, e não virando chacota de novela das 7 ou Zorra Total.

2) Teve gente que disse "Não entendo essa polêmica, acho muito normal dois homens se beijarem"

E eu quis bater na cara da pessoa. Parabéns pra vc por não ser homofóbic@, mas sua atitude forçadamente cool está lhe cegando para o problema que você julga não existir. Como muito bem disse o editor do site Os Entendidos na página do Facebook, "se existia a chance de não acontecer, é porque o acontecer faria uma transformação". Você vê dois garotos se beijando no restaurante, na lanchonete, na escola, no ponto de ônibus com tanta frequência e naturalidade quanto um casal garoto + garota? Não, né? Então não é "normal", não pra sociedade em geral. A luta é pra tirar os gays da condição de exceção, esperteza, então sai pra lá com a sua displicência descolada que vc não entendeu nada da luta e só tá atrapalhando.

Minha única ressalva ao status d'Os Entendidos é quando eles acrescentam ao "faria uma transformação" a pequena frase "e fez". Infelizmente, queridos amigos desse excelente site, não sabemos ainda se fez a transformação. Saberemos no futuro, se não demorarem dez anos para mostrar um próximo beijo gay, sempre em último capítulo, com medo do ibope cair. Saberemos quando tiver beijo gay na Malhação, meu próximo objetivo global! ahahahaha! ;)

3) Teve (MUITA!!) gente que disse "Só isso?? Que beijo chocho, nem foi de língua!"

E eu igualmente quis bater. Eu sou bem implicante com gente que se engaja numa determinada luta com tanto sangue nuzói que acaba demonstrando mais interesse em chocar o lado oposto do que realmente conquistar um avanço na situação que tenta mudar. Na minha modesta opinião, o objetivo não é travar uma guerra com homofóbicos. É esvaziá-los! De argumentos, primeiro, e depois esvaziar suas fileiras mesmo! Eu não quero arrancar a pele de cada um dos homofóbicos (de alguns eu quero, sim) com óleo quente. Eu quero que eles não existam mais! É preciso entender que é muito difícil extrair o preconceito que já está instalado numa pessoa (mas não é impossível!!), então a verdade é que o grosso do avanço será feito em gerações. Se a geração do meu filho vir suficientes vezes gays e lésbicas namorando na tv, no cinema, no shopping, em qualquer lugar ou situação, assim como qualquer casal hétero, e sem ser perturbados, eles não terão base pra achar que isso é "errado" ou "anormal". Isso vai ser a (r)evolução.

Nota pessoal: uma vez,ainda morando em SP, eu estava esperando a Parada Gay passar descendo a Consolação pra poder ir pra casa. Passou uma moça com uma camiseta que lia "Sou bi". Meu marido me perguntou se eu gostaria de ter uma camiseta daquelas. Eu disse que não. Que o que eu queria mesmo era viver num mundo em que ninguém tivesse que vestir aquela camiseta. Ser "obrigado" a ter "orgulho" da sua orientação sexual, a meu ver, já é uma violência. Isso deveria ser completamente natural. Ninguém deveria ter nada com isso, não deveria ser uma "questão" fulana ser bi ou lésbica ou fulano sair do armário.

É preciso também entender que, no caso específico de uma novela das 8, estamos lidando com um produto que vende, talvez o melhor produto deste país. Esse produto tem um público, e é muita ingenuidade achar que a Globo até hoje não tinha colocado um beijo gay na novela porque é boba-feia-chata & homofóbica.  Nunca tinha colocado porque ainda julgava que o efeito seria mais negativo do que positivo com o seu público. Apenas isso. Colocou quando sentiu que o clima estava lá, propício, que a situação exigia, e que poderia, enfim, agradar o novo público que exigia o beijo gay sem repelir o público antigo, porque já estavam mesmo todos apaixonados pelo Félix. Genial, não? Ainda bem! Porque nem eu, que não sou executiva da Globo, gostaria de ter logo de cara chocado as vovozinhas de 80 anos que assistem novelas há décadas e tirá-las do público desse produto que, enfim, agora parece que vai acertar o pé nesse quesito. Seria igualmente um desserviço. Elas desligariam a tv falando mal de tudo, chocadas, horrorizadas, tornadas ainda mais preconceituosas. Por outro lado se elas continuarem vendo novelas e outros beijos acontecerem, naturalmente, esses beijos naturalmente evoluirão e ela talvez até sorria pro novo namorado do neto dela. Afinal se na novela tem, né? Então tudo bem.

4 comentários:

  1. publiquei aqui... não apareceu???

    ResponderExcluir
  2. Bem, vai de novo...
    Muito bom o texto!
    Concordo na íntegra!
    Parabéns, Bruna!!!

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo, aconteceu na hora que tinha de acontecer e foi de uma forma muito inteligente, sem precisar agredir ninguém, mas o contrário, mostrar simplesmente o que é o verdadeiro amor, sem preconceitos.

    ResponderExcluir
  4. Traduziu tudo que penso de forma leve e precisa, obrigada, Bruna! Além do didatismo que ajudou, por exemplo, o marido francês a entender toda a complexidade da coisa, rs. Bjs e parabéns! :**

    ResponderExcluir

tá com você!