Páginas

28 de jul de 2016

Meus dois centavos sobre Johnlock (e já tô achando caro)

Relutei muito em escrever sobre Johnlock. Eu já deveria ter aprendido que eu nunca devo lutar contra um tema que coça nas pontas dos meus dedos. Por outro lado, é bom escrever sobre isso agora, quando parece que o assunto pode sossegar.

Embora eu saiba que não vai.

Pra começar do começo, eu não sou Johnlocker. Eu não sou Sherlolly. Eu não tenho ship. Eu acho que Sherlock Holmes não tem que ter envolvimento romântico com ninguém. Eu acho impossível dissociar qualquer adaptação de Sherlock Holmes do cânone original de Conan Doyle. Acho que se fosse pra dissociar, que usassem outro nome, criassem outro personagem. O cânone de Doyle é a bíblia da minha religião, não gosto de bulir com isso.

Mas o nome é "adaptação", né? Então é claro que mexem com algumas coisas. E Sherlock da BBC já começa mudando o time setting. Mas faz tudo com brilhantismo, etc. e tal, vcs já sabem e eu não preciso explicar por que amo a série. Quero falar é de Johnlock.

Na adaptação pro século 21, seria ridículo se ninguém fizesse ao menos uma piada com os dois caras morando juntos, sendo que um deles nunca tem namorada. É claro que tinha que ter esse tipo de insinuação, pois na vida real era o que aconteceria. Na primeira temporada isso foi feito de uma forma muito legal, que era leve e era engraçada e não comprometia Sherlock como gay ou hétero. Ele não era porra nenhuma. Logo no segundo episódio, John já estava atrás de namorada. Ou seja, os elementos que tínhamos à nossa disposição informavam o seguinte, se a gente tem que se prender a esses termos: um assexual, um hétero. Era o que tínhamos.

Mas surgiu Johnlock. E era natural que surgisse, no século 21, esse ship. Existe uma necessidade de sexualizar tudo, neste tempo em que vivemos, e sexo vende. E televisão é um produto. Nada vende mais que sexo. As pessoas querem consumir sexo, muitas vezes elas querem mais consumir do que fazer (acreditem, é verdade). Muitos acusam Gatiss e Moffat de queerbaiting (atrair o público LGBT com pistas, brindes, migalhinhas de um relacionamento gay que nunca se concretiza). Mas, gente, tem "hetero baiting" ali também. O que vcs acham que é Irene Adler? Ou mesmo a Janine? O baiting é generalizado, porque os criadores do programa sabem que sexo vende. Então o que o público faz com esse bainting? Se apropria. A apropriação da produção cultural alheia, com a internet, é algo inevitável, e daí surgiram as fanfics. Com hiatos tão longos como os de Sherlock, tinha mais coisa acontecendo fora do controle dos criadores da série do que sob o controle deles.

Mas a série ainda é deles, mesmo que tenha gente que acha que sabe mais sobre o que eles inventaram do que eles próprios (por mais estranho que isso soe). Eles são os criadores, nós somos o publico. A gente até pode deixar de gostar de um programa, veja bem, isso é perfeitamente possível. É a nossa liberdade como público. Pra dar um exemplo pessoal, House caiu muito no meu conceito quando ele se envolveu com a Cuddy. Assim como Sheldon e Amy. Sim, eu não gosto de sexualizar e romantizar tudo, por mais estranho que isso possa parecer vindo de uma escritora de romances. Eu acho que tem uns personagens que perdem muito quando isso acontece, e eu perco meu interesse. Se um dia John e Sherlock se tornassem um casal na série, eu provavelmente perderia interesse. É por isso que hoje eu estou feliz. Porque os criadores da série garantiram que isso não vai acontecer.

Como vcs podem ter percebido, eu disse que perdi o interesse por House e The Big Bang Theory quando seus personagens entraram em relacionamentos. Relacionamentos hétero. Mesmo assim, é de praxe acusar de homofobia quem não shippa Johnlock. Já tive que argumentar e justificar, até falando da minha própria bissexualidade, o que é ridículo, convenhamos. Porque se vc chega dizendo que não é Johnlocker vc tem que apresentar seus argumentos e aí a pessoa vai ver se eles são válidos e, se não forem, vc é homofóbico.

Sim, é isso aí.

Bom, então deixa eu pincelar uma realidade pra vcs.

Suponhamos que eu seja hétero. Suponhamos que eu ame Sherlock BBC e eu seja das que gostaria mesmo de ver Sherlock se engraçar com alguém. O que vc acha que despertaria meu tesão? Sherlock com uma mulher ou Sherlock com um homem?

BINGO.

Então, de repente, pode ser que a coleguinha que shippa Sherlolly ou Adlock seja apenas hétero, e não homofóbica. Veja só! Sim, eu sei, coitada dela, ser hétero. Ser bi é muito mais legal, concordo. Mas tb parece que Johnlockers não acham bacana ser assexual, então na minha opinião também estão fazendo juízo de valor com orientação sexual. Ser gay é melhor que ser assexual? Ser hétero é melhor que ser gay? Se eu não sou Johnlocker, eu sou homofóbica? Se eu sou Johnlocker, eu odeio assexuais ou eu acho que eles não existem?

NÃO, PORRA. Isso tá indo longe demais! Tá indo longe demais porque, muitas vezes, tá escondendo debaixo desse ativismo um machismo mal disfarçado. Dois homens são amigos, muito amigos. São, provavelmente, as pessoas mais importantes da vida um do outro. Isso tem que ser sexualizado porque só viado sente isso por um homem. Um John hétero jamais gostaria tanto assim de um Sherlock, então tem que ser gay. Mulheres podem ser muito amigas, mas se for homem, aí já são gays. Um machismo que muitas vezes descamba pra misoginia contra a personagem da Mary, e contra a atriz, Amanda Abbington. Pra piorar, Amanda tem a audácia de ser casada com Martin Freeman na vida real. Sim, porque é claro que o ship extrapola e tem muita gente por aí que shippa Freebatch. Sim, os dois atores. Aquelas duas pessoas que têm vida própria. Que existem. Que dormem, acordam, trabalham, têm família. Tem fãs que pegam e escrevem fanfics deles dois juntos. Tem gente que leva isso a sério, além das fanfics, e acha que é real. Eu só acho isso maluco. Mas quando essa maluquice se torna ódio contra as esposas dos dois, aí eu não gosto mesmo. Esse é o limite que eu não suporto.

Acontece que tudo isso aí é o que acontece fora do controle dos showrunners. Só que o show continua sendo criado por aquelas pessoas, que trabalham com isso, que desenvolvem os personagens, os enredos, tudo aquilo, e, em última instância, a decisão é deles. E agora eles disseram, com todas as letras, que Johnlock não é real. Que não está acontecendo, que não vai acontecer, e que não é pra ninguém esperar por isso porque não é essa a história que eles estão contando.

E tem gente cobrando Mark Gatiss, homossexual assumido, por mais representatividade.

Isso não é só insano.

Isso. É. Cruel.

No fundo eu penso que, do jeito que Gatiss e Moffat conduziram as coisas, eu poderia ter sido persuadida a ser Johnlocker. Poderia ter sido divertido. O problema é que os Johnlockers estragaram o Johnlock.


10 comentários:

  1. Bruna, seu texto está tão lindo, mas tão lindo, que não sei nem como comentar. Concordo com tudinho que você falou. Já fui acusada de homofobia algumas (várias) vezes por não shippar. Simplesmente por não shippar. E conheço várias outras pessoas que também foram. Acho isso um absurdo, assim como é absurdo termos que justificar nossa vida (se somos hétero, bi, homossexual, assexual, etc) para "poder" argumentar não nos identificarmos com um ship.
    E como você mesmo disse ali e eu sempre repito também. O problema não é o ship Johnlock, são as shippers Johnlockers. :/

    ResponderExcluir
  2. Bruna e M. O que vcs falaram É exatamente o que eu vivo falando! Já deram a entender que me achavam homofóbica por não shipam (por não shipar absolutamente nada!), já me expulsaram e bloquearam do grupo "Sherlock Fandom" (sim, dou nome aos bois.... Ou melhor, às fêmeas dos bois, dado que TODOS eram MULHERES que entraram nesta loucura bizarra) e saí (e levei uma leva de pessoas comigo) do grupo "Sherlock Brasil" pq infelizmente aquele grupo foi tomado por mulheres Johnlockers fetichistas e sem noção.

    Eu tenho uma teoria que o shipe, para uma parcela dos shipadores deste shipe, Johnlock se tornou fetiche gay para mulheres (assim como homens tem fetiche por casais lesbíacos).... Pq eu não vejo outra explicação para este fenômeno do que isso. Sei lá.....

    ResponderExcluir
  3. Eu sou Johnlocker e sou hetero. Bem, vocês tem direito a ter sua opinião e vocês tem seu ponto de vista, mas eu acho que a Laura se equivocou um pouco. A maioria das pessoas que saíram do grupo Sherlock Brasil eram do Fandom Johnlock e ELAS saíram porque o ship não foi respeitado. Se tivesse sido respeitado e não tratado com desprezo(porque foi sim, e foi muito), as coisas poderiam ter sido diferentes. A briga não é pelo Ship, é pelo respeito. Não confundam, por favor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. "Se eu não sou Johnlocker, eu sou homofóbica? Se eu sou Johnlocker, eu odeio assexuais ou eu acho que eles não existem?
    NÃO, PORRA. Isso tá indo longe demais!"
    QUE TEXTO!
    Olha, concordo com você. Ultimamente as pessoas estão tão preocupadas com shipps que (a) esquecem o propósito da série e/ou (b) desrespeitam você por não concordar com elas. Eu shippo Johnlock, adoro fanarts que os fãs fazem, montagens e etc, mas não vou sair por aí xingando quem não shippa. Em troca, eu gostaria que fizessem o mesmo. Acha que eu sou iludida por shippar um casal que não existe? ÓTIMO, agora guarde para você, ou, no mínimo se expresse com educação.
    E, ah, ninguém é homofóbico por não shippar os dois. São lindos juntos? São. Para mim. Tu não tem que concordar, não, e eu preciso respeitar isso.
    Hoje em dia eu nem ligo para discussão assim haha. Só saio fora mesmo.

    Adorei seu texto ♥

    ResponderExcluir
  7. Concordo plenamente!Meu deus eu não aguento mais, entrei no grupo Sherlock Fandom porque queria discutir os episódios e conseguir torrents bons mas a galera passa o dia inteiro falando de casalzinho.Quando acusaram o Moffat de "descaracterizar o personagem" porque os dois ainda não se beijaram eu simplesmente disse "ué mas nunca foi dito que o Sherlock é gay..nem hétero."Choveram comentarios me acusando de héteronormativo (obs:eu sou bi!), que eu não presto atenção na série, que eu tava sendo conivente com "queerbathing" (meu deus como eu odeio esses termos) e o caralho a quatro.
    Chega, gente.Cês querem shipar shipem, acho super divertido, quando eu comecei a ver também shipar, cês querem se iludir achando que é canon e que os dois vão se pegar loucamente no próximo episódio problema de vocês mas taxar quem discorda como homofóbico e de uma cretinice sem tamanho.E qual foi essa tal cena em que o Sherlock disse "Enganei vocês, eu era hétero o tempo todo.Top top top my dear Watson"?A galera fica vendo pelo em ovo!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi no celular, o corretor fez umas correções esdrúxulas e tive que arrumar e recolar, só explicando o pq do apagado.

      Excluir
  9. Concordo em gênero, numero e grau. Também sai do grupo pq não shippava e esta insustentável ficar lá. E não, lá os johnlockers não eram destratados, eram eles quem destratavam quem tinha outra opinião, quem não shippava nada ou shippava outro casal. Acusavam levianamente as pessoas de homofobia, uma acusação seria, como quem acusa o outro de rir na sala de cinema, como se não fosse nada. Vi lá gente desejando morte das atrizes por serem esposas dos caras e "impedirem eles de se assumir e se amarem loucamente na vida real também" é tipo, hein???
    Concordo, o pessoal não respeita os assexuais e sai acusando todo mundo que homofobico, sendo que em muitos casos eles mesmos são assexuafobicos (não sei se é bem esse o termo), por não respeitarem a característica maior que seria o não interesse sexual nenhum, por desconsiderar a existência dessas pessoas e achar que não existem ou que não é normal ser alguém que não sente tesão sexual por ninguém, quando é normal sim!
    Virou fetiche mesmo, pra muita gente. Do mesmo modo que homens acham lésbicas fetiche a serviço deles, tem gente achando que gays são fetiche a serviço delas e naaaaaaao, ninguém ta aqui pra ser fetiche de ninguém!!! Cada um quer ter seus valores e sua vocação sexual ( pq pra mim é simples, você nasce pra amar alguém do seu sexo, sem seco definido, do sexo oposto ou ninguém sexualment! Ninguém aprende nada disso, ninguém escolhe nada disso, é nato, então não vou chamar de orientação pq tu não aprende, tu é e fim).
    Era para ser uma serie sobre investigação e só. Foi o próprio fandon alucinado que matou a série, isso sim. Quando pessoas reais começam a receber ameaça de morte e acusações de assédio ta na hora mesmo se encerrar o projeto antes que surja um fã maníaco pra atirar em alguém.
    Texto perfeito, pena que tem gente que não processa nem mastigadinho assim, prova é um dos comentários....

    ResponderExcluir

tá com você!