Páginas

31 de jul de 2015

mulher e mãe podem ser o que quiserem

ref. este artigo: http://www.geledes.org.br/voce-quer-ser-mae-ou-apenas-ter-um-bebe/#gs.a96d603e318e43db9966b11fe9a94d44

mulher NÃO nasceu pra ser mãe, mulher nasceu pra ser o que quiser, porra. jamais tenha filhos pra mostrar pras amigas, pra dar satisfação à sociedade. suas amigas e a sociedade não vão pagar nem trocar as fraldas, não vão correr de madrugada pra dar uma chupeta pra um bebê assustado e chorando, não vão terminar o dia suadas e exaustas quando o coisinho aprende a andar. essa decisão precisa ser refletida.

MAS

tem uma coisa que eu não concordo muito com o tom deste texto. o fato de que as mães reclamam do trabalho que dá não significa que elas tomaram uma decisão irrefletida. é um crime tirar dessas mulheres o direito de se queixarem de algo que é realmente extenuante. mãe não tem que sofrer calada, mulher nenhum tem. até porque essas mães NÃO sabiam todo o trabalho que dá. NÃO sabiam como ia ser a vida delas depois do nascimento do filho. justamente porque o mundo só pinta o lado lindo de ter um filho e ser mãe. e mesmo que alguém tenha explicado realmente todo o trabalho que dá (e ninguém explica, porque a sociedade inteira quer te fazer TER o tal do filho, e não desistir de tê-lo), no fundo vc só sabe se dá conta ou não depois que já tá rolando. não é só trabalho físico. vc não é babá dessa criança, vc é a mãe. ninguém será tão dependente de vc quanto ele, e isso é uma demanda q vc nunca viveu. não se pode exigir que a mulher tivesse a medida disso antes de vivê-lo.

talvez seja assim que mulheres resolvem ter um filho e ficam só no primeiro. talvez tenham descoberto que, sim, é claro que dão conta, porque estão dando conta. mas que esse negócio de maternidade não é pra elas. ou pra mim. isso significa arrependimento? cara, não. há muito mais do que talento e aptidão envolvidos aqui. há o amor. O AMOR. e a relação mais intensa e íntima que vc já viveu com alguém. nem me faça pensar em abrir mão disso!

mas tb não me faça pensar em como era tranqs minha vida pré-gravidez... porque, putz, bate uma saudade... ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

tá com você!