Páginas

8 de dez de 2013

Meme literário 2013 - dia 8



Dia 8 - Que livro/autor já decepcionou você?

Ah, sim, com certeza. No quesito autor, o Paulo Coelho, por exemplo. Eu gosto bastante dele, e de alguns livros dele eu até gosto muito, como Brida. O primeiro livro dele que me decepcionou foi O Monte Cinco. Não consegui passar do começo. O Zahir eu nunca terminei, achei um saco. Mas O Demônio e a Srta. Prym eu adorei, então nem posso dizer que acho que ele perdeu a mão de contar uma história, mas ele não acerta sempre.



Douglas Adams também me decepcionou, porque acho que as sequências do Mochileiro não chegam aos pés do primeiro livro. Na verdade eu só li os três primeiros livros da série. Será que melhora no Até mais, e Obrigado pelos peixes?

Eu também me decepcionei com O tesouro de Rennes-le-Château e A conturbada história das bibliotecas, em um caso porque não era o que eu esperava, e no outro porque achei o estilo pouco cativante e arrastado. Já faz tanto tempo que larguei que nem me lembro mais.

Um comentário:

  1. São muitos e geralmente me esqueço depois para citar de improviso. O Douglas Adams que a Bruna cita consta na minha lista. O primeiro foi um desbunde e os outros foram pequenas brochadas. Nem me lembro dos enredos.
    Um que sempre cito foi o Philip Roth. Ouvia sempre vários leitores elogiando o Complexo de Portnoy. O nome eu achava bárbaro e fiquei muito estimulada para ler. Achei um saco. A coisa é bem digressiva, o personagem indo e voltando em lembranças, falando consigo mesmo. Mas acho que minha decepção aconteceu principalmente por causa da minha antipatia com o personagem. Era um tipo que eu daria uma rasteira na rua se pudesse.
    Teve o "Deus da Chuva e da Morte" do Jorge Mautner. Adoro o Mautner, vou em tudo que é show dele, fui no relançamento do livro, pedi autógrafo. Na leitura que fiz quase que horas depois de tietar o figura, dei alguns uaus no começo, mas o estilo desconexo era gritante e fui retomando meu senso crítico. Para piorar, tem umas partes muito mal escritas. Tá certo que o Mautner é pirex total mas minha tolerância foi caindo e fui até onde aguentei.
    O "On the Road" do Kerouac. Tenho um histórico de tentativas. Começava, achava insonso, largava o livro. Daí me batia um vento beatnik, um apelo á liberdade, um negócio e eu pensava "Vou tentar de novo". Novo abatimento, chateação e abandonava. Assisti o filme e novo alento e tentei pela última vez. Li até o fim. Mas só gostei da parte em que ele tem contato com o William Burroughs... Foi modorrento e sonífero.
    Crisim

    ResponderExcluir

tá com você!